terça-feira, fevereiro 18

YouTube pode ter contribuído para o aumento de terraplanistas no mundo

Gostou? Ajude a compartilhar! ;)

YouTube pode ter contribuído para o aumento de terraplanistas no mundo, segundo a pesquisa da Professora de comunicação científica na Texas Tech University

Em todo o mundo, inclusive no Brasil, é cada vez maior o número de terraplanistas que colocam à prova o conhecimento científico argumentando que a Terra, na verdade, seria plana. No Facebook há diversas páginas de discussão sobre o tema com milhares de membros inscritos, e os terraplanistas também estão no YouTube publicando conteúdo dedicado a falar sobre o assunto com versões alternativas para a explicação de fenômenos como fusos horários, estações do ano e eclipses. E uma nova pesquisa mostra que foi exatamente essa plataforma uma das principais responsáveis para o aumento no número de pessoas que acreditam nessa teoria.

Professora assistente de comunicação científica na Texas Tech University, Asheley Landrum estuda como valores culturais podem afetar a nossa compreensão da ciência, mas recentemente passou a se dedicar ao estudo do fenômeno da teoria da Terra plana, mostrando um aumento significativo de pesquisas no Google sobre o tema nos últimos cinco anos.

Para realizar sua pesquisa, Asheley Landrum entrevistou 30 pessoas que participaram de uma convenção da Terra plana e descobriu que todas, exceto uma, se tornaram adeptas da teoria após assistirem a vídeos no YouTube sobre o assunto.

A pesquisa foi apresentada em um evento organizado pela American Association for the Advancement of Science. Os resultados não culpam explicitamente o YouTube pelo aumento dos terraplanistas, mas Landrum acredita que a Google poderia estar fazendo mais para impedir a propagação de ideias cientificamente incorretas na internet.

“Há muita informação útil no YouTube, mas também muita desinformação”, disse em entrevista ao The Guardian. “Os algoritmos deles facilitam a passagem pelo buraco do coelho, apresentando informações às pessoas que serão mais suscetíveis a isso”.

O Google reconhece que pode fazer mais para combater a disseminação de informações falsas no YouTube e recentemente estabeleceu novos planos de ação sobre o assunto. Uma das medidas foi “reduzir as recomendações de conteúdo limitado e de conteúdo que poderia desinformar os usuários de maneiras prejudiciais — como vídeos promovendo uma cura milagrosa falsa para uma doença grave, afirmando que a Terra é plana ou fazendo alegações descaradamente falsas sobre eventos históricos como o 11 de setembro”, conforme disse a equipe da plataforma em um post descrevendo as novas medidas que estão em processo gradual de implementação.

Fonte: Canaltech

Gostou? Então não se esqueça de compartilhar o artigo em suas redes sociais!
Também temos diversas bolsas de estudo em mais de 1.200 faculdades de todo país, em todas as áreas, inclusive em Engenharia e Energia, confira aqui: https://criativetech.com/bolsas-estudo


Imagem em destaque: Foto/Reprodução internet

Gostou? Ajude a compartilhar! ;)